Enriquecimento ambiental significa acrescentar um ou mais elementos ao ambiente para promover o bem-estar físico e psicológico do animal.

A ideia surgiu em zoológicos, onde os veterinários e biólogos sentiam a necessidade de melhorar a qualidade de vida dos animais confinados, como macacos e leões.

Fazendo uma analogia aos grandes felinos, é possível aplicar as técnicas de enriquecimento ambiental em qualquer casa ou apartamento em que haja um gatinho doméstico.

Os gatos que vivem em confinamento, como em apartamentos ou casas teladas, estão mais protegidos dos perigos enfrentados nas ruas e das doenças contagiosas. Porém, eles são os que mais necessitam de enriquecimento ambiental.

Existem diversas maneiras de promover esse enriquecimento e nem todas elas envolvem grandes investimentos financeiros. Usando a criatividade é possível desenvolver excelentes alternativas!

Podemos classificar o enriquecimento em duas formas: as animadas e as inanimadas.

FORMAS ANIMADAS

Envolvem os seguintes tipos de interação: gato-gato, gato-cachorro e gato-homem. A interação gato-homem pode ser feita através de brincadeiras, adestramento ou com simplesmente sessões de escovação. A interação com outro animal deve ser feita com cautela, pois os gatos são animais relativamente solitários. Quando essa interação ocorre na infância, costuma-se obter maior sucesso do que na fase adulta.

FORMAS INANIMADAS

As formas inanimadas de enriquecimento ambiental envolvem estratégias como:

– uso de brinquedos: no Brasil, ainda é mais comum encontrar brinquedos para cães do que para gatos, mas mesmo assim a variedade é grande, indo desde simples bolinhas com guizo até as varinhas com penas, que são um grande sucesso no mundo felino.

– uso de alimentos: petiscos como ração em sachê são excelentes opções na hora de adestrar um gato e podem servir de estímulo para a brincadeira. Alguns brinquedos permitem que a ração (seca ou úmida) seja escondida em seu interior, e o gato precisa se esforçar para conseguir comer o alimento. Essa opção também é recomendada para gatos que precisam perder peso ou que têm compulsão por ingerir objetos.

– enriquecimento físico vertical: os gatos possuem a habilidade natural de pular e escalar. Portanto, colocar suas coisas em partes altas da casa já é um excelente começo. A sua caminha, suas vasilhas de água e comida e até mesmo sua caixa de areia podem ficar em espaços elevados. Além disso, a instalação de prateleiras ao longo da casa permite que o gato se exercite e que se sinta mais seguro.

– enriquecimento físico estrutural: feito através da colocação de esconderijos e arranhadores para o gato. Os esconderijos podem ser caminhas ou até mesmo as famosas caixas de papelão, tão amadas pelos gatos. Os arranhadores podem ser horizontais ou verticais. Você pode misturar o enriquecimento vertical com o estrutural e colocar esses objetos em áreas altas.

– enriquecimento sensorial: através do olfato, visão e audição também é possível promover a melhora do bem-estar felino. Exemplos são a voz do dono, programas de televisão, tablets e celulares e o famoso catnip ou erva-do-gato. As imagens nos equipamentos nem sempre fazem sucesso, mas podem ser uma forma de distração. O catnip está amplamente distribuído nos brinquedos para gatos, que são mais indicados para animais extremamente agressivos.

Além desses, o feromônio sintético para gatos, que não se encaixa nas categorias acima, é bastante indicado para a melhora de alterações comportamentais.

ALGUMAS ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS

– passar muito tempo escondido dentro de uma casinha;

– atacar pessoas ou outros animais que passem em frente a sua casinha;

– miar em excesso;

– falta de interesse em brincadeiras;

– seguir o dono onde quer que ele vá;

– arranhadura em excesso nos móveis;

– marcação de território com urina e/ou fezes.

CUIDADOS 

Com relação à interação gato-dono, é fundamental não estimular a agressividade através de brincadeiras rústicas, como mordidas nas mãos.

Já no ramo dos brinquedos, é importante observar o comportamento do gato no momento da interação, pois alguns brinquedos podem ser ingeridos pelo gato. Além disso, brinquedos que o gato não consegue “pegar” podem gerar frustração, como canetas que emitem um fio de laser e joguinhos para tablets. Sempre permita que seu gato finalize a brincadeira, deixando-o pegar o brinquedo com as patas ou boca. Dessa maneira ele entende que conseguiu “caçar” a sua presa.

Alterações graves de comportamento podem ser corrigidas com auxílio de um veterinário especializado. Portanto, na dúvida, é melhor procurar a ajuda de um profissional.

Essas dicas e orientações não devem ser interpretadas como forma de diagnóstico! Nunca medique seu gatinho sem orientação veterinária.

Posts relacionados

Cadastre-se em nossa newsletter e receba novidades por e-mail