Não é segredo para ninguém que felinos são animais mais independentes, autônomos e solitários. E isso tem fundamento! Mesmo com todos os benefícios da convivência em grupo, para os gatos a vida solitária é bem mais vantajosa, pois isso está diretamente ligado à divisão da comida!

A segurança da vida “em bando”, permite, por exemplo, reduzir a possibilidade de ataque de um predador. No cuidado dos filhotes e na locomoção fica claro os benefícios da vida em equipe. Também foi comprovado que juntas, as espécies conseguem identificar a proximidade do predador. Sem falar na economia de energia para busca de alimento e outros companheiros de grupo. Mas contrariando todas essas vantagens, os bichanos não preferem a coletividade, principalmente quando o assunto é a comida.

A DOMESTICAÇÃO E SOCIABILIDADE

A origem dos gatos domésticos aconteceu no Oriente Médio, com os chamados “gatos-do-mato”. Mas não foram os humanos que fizeram com que os felinos deixassem a vida na floresta. Os próprios gatos entravam em alojamentos humanos a procura da abundância de ratos. E para os homens isso foi ótimo pois encontraram a solução para o extermínio dos roedores. Mesmo com toda essa proximidade, os gatos ainda determinam o grau de sociabilidade, tanto entre eles, quanto com os seres humanos. Ou seja, nossos gatos realmente só fazem o que querem. Para sem manterem à parte marcam território! Quem aí nunca vi seu gato com os pelos ouriçados e as garras e dentes à mostra, na presença de um intruso da sua espécie?

Com informações da BBC Brasil.

Posts relacionados

Cadastre-se em nossa newsletter e receba novidades por e-mail